terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O Espaço das Pequenas Coisas

Muitas vezes pergunto-me: o que é a felicidade? É um conceito tão vasto, tão abstracto, tão subjectivo, tão complexo. E por ser tão complexo travam-se batalhas entre países, entre regiões, entre as pessoas e nas pessoas.
Mas, afinal, o que é que nos impede de alcançar a felicidade? As pequenas coisas, as diferenças. O ser humano é, de forma inata, intolerante à diferença, seja cor, raça, cultura, língua, clima, educação, época. Tudo o que é diferente é instantaneamente rejeitado. Não se trata de crueldade, mas de instinto. Há uma sensação de desconfiança, um medo profundo do desconhecido.

E, agora, pergunto: como combater isso? Afinal, é só uma emoção, se nos apercebermos dela, o segundo passo é controlá-la. Nem sempre o que é diferente é mau. De facto, as pequenas coisas são o melhor que há porque impedem a vida de ser monótona.
E, por isso, partilho uma pequena coisa minha e só minha, o registo das viagens que fiz: todas as culturas são fascinantes e quanto mais divergentes da nossa cultura ocidental, mais aprendo. E como eu gosto de aprender!