quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A minha amiga Mariana





Durante estes dias tenho-me lembrado muito da minha amiga Mariana.

Não me lembro exactamente do momento em que nos conhecemos porque tínhamos apenas 4 anos, mas lembro-me da sensação tão rara de encontrar uma pessoa que caminhava ao meu lado à medida que os anos passavam. Caminhava ao meu lado? Sim. Desenvolvíamos os mesmos gostos, as mesmas brincadeiras e a mesma forma sonhadora de ver o mundo. Lembro-me dos clássicos episódios: quando escrevíamos as peças de teatro/cinemas "As aventuras da Sefrina e da Miriam" e o Professor Jorge não nos deixava implementar as nossas ideias completamente inovadoras; o clube "Os verdes da Terra", totalmente criado e implementado por nós com o simpático número de três elementos consciencializámos a comunidade escolar sobre boas práticas ambientais; os nossos planos de vez em quando maliciosos que envolviam gravações audio; a nossa viagem até à casa dos avós da Mariana; as nossas investigações sobre o "quimirosa"; o nosso diário; a nossa inabilidade para o desenho, enfim...um milhão de episódios que valem a pena ser contados.

Ao longo dos anos, fui sempre acompanhando o crescimento da Mariana, desde a menina tímida que brincava comigo e dizia "Mãe! Não faças cenas!" e que lia a Mônica e o Cebolinha, até à escritora que já na altura se formava, quando íamos almoçar em casa dela e, depois daquela sopa maravilhosa, escrevíamos afincadamente, passando pela Mari que nos pregou uma valente surpresa quando entrou no ballet e foi um sucesso!

Os anos passaram e eis que pouco antes de ela ir para Roma eu senti de novo a minha melhor amiga de infância. Agora a Mari é muitas coisas: fantástica, divertida, criativa, sonhadora, corajosa, ousada, risonha, contagiante, linda!!!, amiga e muito bondosa. É um verdadeiro sucesso em Roma!

Tenho muitas saudades da minha amiga Mariana que, estando a 2367km (ah a maravilhosa invenção google maps), está no meu coração todos os dias quando como chocolate!